Agulucia Martins: Sem perder o ritmo e vontade de ajudar

aguluciafb2Trabalho com entusiasmo e alegria. É dessa forma que a extensionista aposentada Agulucia Martins Amarante viveu a vida profissional na ACAR/Emater-MG. Mas essa animação não ficou por aí, mesmo após o desligamento da empresa ela não parou nem um minuto, sempre com um espírito de doação e vontade de ajudar o próximo.

Natural de Lavras, no Sul de Minas, Agulucia começou as atividades na empresa no município de Boa Esperança, em 1973, como Bem-Estar Social. Foi nessa cidade que trabalhou com o colega Sebastião Cardoso e lembra com muito carinho dos companheiros Irma e Vicente, que trabalharam no escritório antes de sua chegada e deixaram saudades. Ela também passou por Rio Pardo de Minas e Alfenas e fala que foi muito feliz. “Ao invés de receber eu deveria ter pago para trabalhar na ACAR/Emater-MG. Foram muitas experiências maravilhosas, com ótimos companheiros de trabalho. Eu aprendi muitas coisas como falar em público, ter disciplina, aprender a lidar com pessoas diferentes, entre outros. Esses ensinamentos eu trouxe também para minha vida pessoal. Foi uma preparação para a vida”, afirma.

O colega de trabalho, Francisco de Paula Vítor (Chico), lembra da dedicação e entrega de Agulucia. “Trabalhamos juntos em Alfenas de 1988 a 1993, ela é uma pessoa muito simples e idealista. Tem uma alma do tamanho de um campo de futebol (risos) e um espírito de equipe muito grande, sempre quer ajudar a todos. Para ela só tenho elogios”, garante.

Para Ruth Baganha uma característica marcante de Agulucia é o foco. “Trabalhamos juntas em Lavras e tivemos um contato próximo. Ela sempre foi muito responsável e com foco nos resultados. E foi assim que ela deixou uma marca significativa tanto na empresa quanto na vida das pessoas”, recorda.

Aposentada desde 1997, Agulucia conta que se planejou antes de se afastar. “Eu me preparei para esse momento. Eu participava de um grupo espiritual e realizava trabalhos voluntários, como a construções de casas”, conta.

Atualmente Agulucia é presidente da Sociedade Lavrense de Proteção aos Animais Parque São Francisco de Assis. A instituição abriga 458 cães, mas no passado mais de três mil animais estiveram no espaço. “Também realizamos a castração e vermifugação de animais de rua. Já passaram por esse tratamento mais de 1.770 animais. Em média 60 cães são atendidos por mês”, afirma.

Devido a situação financeira instável, Agulucia aproveita a oportunidade para pedir doações para a instituição. “Precisamos da ajuda de todos para manter ativo esse trabalho”. As doações podem ser realizadas através da seguinte conta:

Caixa Econômica Federal

Agência: 0129 / Operação: 003

Conta: 185-2

Mais informações:

www.parquefranciscodeassis.com.br

www.facebook.com/pfranciscodeassis