Amaer, Emater-MG e UFMG revitalizam museu da extensão rural mineira

Um acervo com peças que contam a história da extensão rural em Minas Gerais será revitalizado por meio de uma parceria entre a Amaer, a Emater-MG e a UFMG.  A proposta foi apresentada durante uma reunião entre representantes das três entidades, realizada no último dia 17, na sede da Emater-MG, em Belo Horizonte. O trabalho de revitalização do Centro de Documentação José Alfredo Amaral de Paula, o Espaço Memória vai ajudar a preservar a história de uma das atividades mais importantes do estado.

O projeto terá duração de um ano e meio e será executado em duas etapas. Na primeira, será realizada a documentação museológica, que envolverá o inventário das peças. Já na segunda etapa será feita a montagem da exposição e organização do espaço físico do museu.

Para a coordenadora do projeto e gerente do Departamento de Administração da Emater-MG Maria Augusta Ribeiro, a revitalização do museu é uma forma de eternizar a “vida” da empresa. “O Espaço Memória tem elementos marcantes no trabalho de extensão rural realizado pela nossa empresa. É de grande importância essa revitalização pois, assim, garantimos que a história construída durante todos os 72 de vida da Emater possa ser lembrada”, conta.

Já para o presidente da Amaer, Francisco Fernandes, com a revitalização, objetos utilizados no  campo devem receber espaço no acervo do museu. “ Expor esses objetos presentes na fruticultura, produção bovina, entre outros, é uma forma de valorizar todos esses profissionais que diariamente exercem seu trabalho no campo e na trajetória da empresa”, relata.

Parceira no projeto, a UFMG será responsável pelo acompanhamento técnico do trabalho de revitalização do acervo que já existe no local e também pela reorganização de uma biblioteca que funciona no mesmo espaço do museu, mas atualmente desativada.

Estagiários dos cursos de museologia e biblioteconomia já começaram as atividades, dando o pontapé inicial na proposta de trabalho. Eles serão supervisionados por uma funcionária da Emater-MG, com formação em museologia. Segundo o coordenador do curso de museologia da  UFMG, Jezulino Braga, a integração entre a Amaer, a Empresa e a Universidade é positiva para todos. “ A parceria só tem a contribuir, pois é uma via de mão dupla. Os estudantes têm a oportunidade de aprender na prática tudo que desenvolvem no curso de graduação e para a Emater e Amaer é uma possibilidade de alinharem-se com uma instituição científica. Isso permitirá a realização de projetos de extensão e outras propostas para o Espaço Memória”, conclui.

 Projeto Memória

O Centro de Documentação José Alfredo Amaral de Paula ou Espaço Memória, como é conhecido, nasceu em dezembro de 1998. O museu, criado por funcionários da ativa e aposentados da Emater-MG, possui vários objetos, documentos e curiosidades sobre o trabalho pioneiro de assistência técnica e extensão rural em Minas Gerais realizado pela antiga Acar, hoje Emater-MG.

Dentre as diversas peças históricas estão um antigo Jeep, usado pelos extensionistas no passado e um dos símbolos da atividade de ATER e a réplica, com os móveis originais, do primeiro escritório local da Acar, no município de Santa Luzia. A intenção é que depois de revitalizado, o museu da extensão possa ser aberto à visitação pública.