Atenção: veja os 6 golpes mais praticados contra idosos

A Amaer faz um alerta muito importante aos seus associados e parceiros. O número de golpes contra idosos está crescendo no Brasil. E a melhor maneira para se livrar desses desagradáveis transtornos é se mantendo bem informado e atento.

Conheça os principais golpes aplicados contra idosos:

1 – Cartão do banco: os criminosos instalam um equipamento em caixas eletrônicos e em alguns terminais de autoatendimento que retém o cartão da vítima. Ao tentar retirar o cartão e não conseguir, a vítima vai embora ou procura ajuda, deixando o cartão. Nesse momento, os criminosos agem e pegam o cartão. Geralmente esse golpe é aplicado aos finais de semana, quando as agências estão fechadas e a vítima não pode ser ajudada por um funcionário do banco.

Como se prevenir: se a agência estiver aberta, peça ajuda a um funcionário do banco, jamais para estranhos. Geralmente o golpista fica por perto esperando o pedido de ajuda da vítima. Se a agência estiver fechada, entre em contato com a instituição financeira e peça o cancelamento do cartão.

2 – Bilhete premiado: esse é um golpe muito antigo, mas que ainda atinge muitos idosos. O golpista se aproxima aparentando pobreza e baixa escolaridade. Diz possuir um bilhete de loteria premiado, mas por algum motivo ele não pode sacar o valor na agência bancária. Então o golpista entrega a vítima o bilhete premiado em troca de dinheiro.

Como se prevenir: a primeira coisa é desconfiar desse tipo de conversa e avisar a polícia para que outras pessoas não sejam lesadas.

3 – Golpe do carro do sobrinho: por telefone uma pessoa pergunta a vítima quem é que está falando. Chamam de tia ou tio e tentam deixar o interlocutor sem jeito em razão de não conhecer quem é o “parente” que está do outro lado da linha. Na conversa, tenta fazer com que vítima diga o nome de algum sobrinho (a) para se passar por essa pessoa e contar que estava vindo visitá-la, mas que o carro quebrou no meio da estrada. Em seguida, pede dinheiro para o conserto. Se a pessoa que atendeu o telefone cai nessa conversa, o golpista passa os dados de uma conta bancária para que se faça um deposito ou uma transferência.

Como se prevenir: não dê qualquer informação por telefone se você não tiver certeza absoluta com quem está falando. Pergunte o nome de quem está ligando, quem são seus pais, onde mora ou qualquer outro detalhe que confirme a identidade de quem está ligando. Na dúvida, desligue o telefone e tente confirmar as informações com outros parentes.

4 – O Falso sequestro: os idosos são as vítimas mais frequentes desse golpe. O golpista liga para um número qualquer e a vítima recebe a informação de que um parente próximo foi sequestrado e que para libertá-lo será preciso pagar um resgate em dinheiro, via transferência bancaria, e colocar créditos no celular do golpista. A maioria das ligações são realizadas por presidiários e conta com a participação de pessoas de fora da prisão.

Como se prevenir: caso receba uma ligação com essas características, mantenha a calma. O golpista fará de tudo para que a pessoa que atendeu o telefone fique nervosa, inclusive usando outras pessoas para imitar sons como os de choro e sofrimento. No estado de muito nervosismo a pessoa pode realmente acreditar que ouviu a voz de um parente. Neste caso, desligue o telefone imediatamente, confirme a situação com outros parentes ou ligue para a polícia.

5- Planos Collor, Bresser e Verão: esse golpe é mais recente e se baseia em um fato real. Em 2018, grandes bancos selaram um acordo de compensação das perdas com cadernetas de poupança ocorridas nos planos econômicos Bresses (1987), Verão (1989) e Collor (1991). Os golpistas aproveitaram essa oportunidade e criaram mais uma modalidade de fraude. Eles fazem uma ligação e dizem as vítimas que elas têm um determinado valor a receber. Mas para isso pedem que sejam fornecidos dados pessoas, bancários e o pagamento de honorários.

Como se prevenir: Não forneça qualquer dado pessoal e desligue o telefone. Bancos não fazem esse tipo de ligação para clientes.

6 – Golpe da compra equivocada: por telefone o golpista finge ser funcionário do banco ou da administradora de cartões de credito da vítima. Então ele diz que uma compra de valor elevado está sendo realizada com aquele cartão e pergunta se a transação deve ser autorizada. Assustada, a vítima responde que não está efetuando compra alguma e acaba passando os seus dados pessoais e do cartão para o golpista.  Com essas informações, o criminoso realiza compras com o cartão da vítima. Em alguns casos, esse golpe se agrava com o golpista orientando a vítima a quebrar o cartão e aguardar a visita de um funcionário do banco que irá recolher o cartão. Após o recolhimento o estelionatário aproveita o chip eletrônico e clona o cartão da vítima.

Como se prevenir: jamais passe senhas ou dados pessoas por telefone. Questões como essas devem ser tratadas apenas em agências bancárias ou em um contato direto com a administradora do cartão.