Emater-MG na recuperação ambiental e socioeconômica de Mariana

A Emater-MG trabalha para finalizar o diagnóstico de perdas ambientais e socioeconômica dos produtores afetados pelo acidente ambiental em Mariana, causado pelo rompimento da barragem do Fundão, da mineradora Samarco, em novembro de 2015. Inicialmente, logo após o desastre um estudo foi realizado pela Emater-MG em parceria com a Epamig. Após esse trabalho foi tratado com a Fundação Renova um novo estudo, mais amplo e completo.

De acordo com o gerente da Divisão de Inovação e Tecnologia Ambiental da Emater-MG, João Carlos Guimarães, o diagnóstico apontou cerca de 200 propriedades atingidas. Ele conta como o trabalho está sendo realizado: “Usamos a ferramenta ISA (Indicadores de Sustentabilidade em Agroecossistemas) para a realização do diagnóstico. Estamos revendo o Cadastro Ambiental Rural (CAR) das propriedades e fazendo novos cadastros para elaborar, posteriormente, o Plano de Recuperação Ambiental e o Plano de Desenvolvimento Socioeconômico. Através desses planos será possível viabilizar para que os produtores voltem para a atividade econômica exercida antes do acidente ou mudem de atividade, conforme o interesse. Essas ações serão financiadas pela Fundação Renova”, conta.

Ainda segundo o gerente da Emater-MG esse diagnóstico já está sendo finalizado e, em breve, a elaboração do Plano de Desenvolvimento Socioeconômico será iniciada, que também contemplará a execução de um plano de assistência técnica e comunicação.

Assinatura de contrato

Em dezembro de 2016 foi assinado o contrato entre a Fundação Renova e Emater-MG no valor de R$ 806 mil para a realização desses trabalhos.

A Fundação Renova é uma instituição autônoma e independente constituída para reparar os danos causados pelo rompimento da barragem.