Idosos podem se vacinar contra a febre amarela?

Muitas são as duvidas sobre a vacina contra a febre amarela. Uma das mais recorrentes é com relação a vacinação de idosos. Especialistas da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), que fabrica a vacina, alertam para a ocorrência de adversidades para pessoas acima de 60 anos e, principalmente, acima dos 70 anos.

Os efeitos colaterais mais comuns são: dor de cabeça, mal-estar, dores musculares e febre. Esses sintomas ocorrem em, no máximo, 5% dos vacinados, sempre por volta do quinto dia e duram cerca de dois dias.

Nos casos mais graves, que são muito raros, podem ocorrer reações de hipersensibilidade, doença neurológica aguda (encefalite, meningite, doenças autoimunes com envolvimento do sistema nervoso central e periférico) e doença viscerotrópica aguda (infecção multissistêmica generalizada, semelhante às formas graves da doença).

Mas esses eventos adversos não devem ser levados em conta para idosos que moram em áreas de ocorrência da circulação do vírus em humanos e em macacos. Se o idoso vive nessas regiões ou terá a localidade atingida como destino é recomendável a vacinação. Mas é importante ficar atento ao se imunizar e consultar um médico para melhor avaliação.

Confira as contraindicações:

  • Crianças menores de 6 meses de idade;
  • Pacientes com imunodepressão de qualquer natureza;
  • Pacientes infectados pelo HIV com imunossupressão grave, com a contagem de células CD4 <200 células/mm3 ou menor de 15% do total de linfócitos para crianças menores de 6 anos;
  • Pacientes em tratamento com drogas imunossupressoras (corticosteroides, quimioterapia, radioterapia, imunomoduladores);
  • Pacientes submetidos a transplante de órgãos;
  • Pacientes com imunodeficiência primária;
  • Pacientes com neoplasia;
  • Pacientes com história pregressa de doenças do timo (miastenia gravis, timoma, casos de ausência de timo ou remoção cirúrgica);
  • Indivíduos com história de reação anafilática relacionada a substâncias presentes na vacina (ovo de galinha e seus derivados, gelatina bovina ou outras).

Vacina em dose única

O Ministério da Saúde mudou a recomendação nacional para a quantidade de doses da vacina. A partir da próxima semana a vacina da febre amarela passará a ser indicada em aplicação única para áreas com exigência de vacinação.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) já pedia apenas uma única aplicação – o Brasil era o único país do mundo que ainda exigia duas doses.