José Alcides Alvarenga: alegria que deixa saudade

Alegre, dedicado e um verdadeiro entusiasta. Essas eram apenas algumas características do Engenheiro Agrônomo aposentado pela Emater-MG, José Alcides Alvarenga, falecido no dia 10 de setembro de 2018.

Zé Alcides, como era chamado por todos, vivia em Lavras, no Sul de Minas, onde se orgulhava de ser Cidadão Honorário da cidade. Formado em 1972, pela ESAL, atual UFLA, Alcides começou a carreira em Uberaba, passou por Belo Horizonte, mas retornou a Lavras, onde se aposentou. No mesmo município também foi Secretário de Agricultura, em 2000.

Em sua passagem pelo Triângulo Mineiro, Zé Alcides foi um dos responsáveis pela incorporação do Cerrado no processo produtivo na região do Polo de Uberaba. O amigo José Rodrigues Vieira, que era coordenador regional de culturas nessa época, fala sobre a partida precoce do extensionista aposentado. “Lamento muito a partida do Zé Alcides. Ele era uma pessoa muito boa, dedicada e entusiasmada. Era muito dinâmico, bem relacionado e reconhecido pelos produtores. Como amigo era uma pessoa boníssima. Ele era muito querido. Vai deixar muitas saudades, mas também seu marco, seu legado”, afirma.

Outro grande amigo que se surpreendeu com a notícia do falecimento de José Alcides foi o também extensionsta aposentado e morador de Lavras José Francisco de Rezende. “Foi uma grande e negativa surpresa. O relacionamento com ele era extraordinário. O gosto que ele tinha pela dança o fazia sair de Lavras para dançar em São Loureço, Caxambu. Era um verdadeiro pé de valsa. Ele ainda gostava muito de carros antigos, participava de eventos. O Zé Alcides era muito solicito, pronto para ajudar. Isso já está deixando muita saudade”, encerra.