Maria da Graça: em exemplo de competência, dedicação e amizade

Sempre com um sorriso no rosto e os braços abertos para receber os amigos. É assim que a economista doméstica aposentada, Maria da Graça Lima Bragança, é reconhecida por seus admiradores.

Conhecida por todos como Graça, dedicou mais de 40 anos à extensão rural. Ela conta como foi o início da carreira. “Eu fiz o curso de Economia Doméstica na Universidade Federal de Viçosa e, no mesmo período, prestei concurso para ingressar na Acar/Emater-MG. Me formei em 1971 e em 1972 já estava trabalhando”, recorda.

Graça deu os primeiros passos na extensão rural em Governador Valadares. Seguiu para Sete Lagoas como Coordenadora Regional de Bem-Estar Social e se aposentou como Coordenadora Estadual de Agroindústria, no Escritório Central, em Belo Horizonte.

O amigo Elmo Novaes, fala sobre a passagem da economista doméstica por Sete Lagoas. “Logo que a Graça chegou já se entrosou e encantou toda a turma. Ela é uma pessoa de ótimo relacionamento e uma excelente profissional. Muito dinâmica e comprometida, com ela não tinha tempo ruim, preguiça. Foi uma parceira muito importante e realizou um trabalho de muito resultado. É uma grande amiga”, conta.

A gratidão por todos os anos trabalhados na Emater-MG também faz parte da vida da sócia da Amaer. “Eu nem sei como seria a minha vida sem a Emater-MG. É a minha experiência de vida. Meu trabalho na agroindústria foi muito gratificante. Ver os produtores de queijo artesanal cadastrados, se desenvolvendo é muito gratificante porque eu participei desse trabalho lá no início com a parte de higiene, tecnologia, construção, etc. Da mesma forma muitas agroindústrias artesanais pelo Estado. Tem alguns doces que eu sei de onde é, eu conheço a fábrica. O trabalho de agroindústria me marcou muito”, narra.

A amiga e parceira de trabalho Carmelinda Maria de Souza se refere a Graça como uma irmã. “Nossa parceria sempre foi muito entrosada. Nossos pensamentos se somavam, se completavam. Juntas realizamos mais de 80 publicações, incluindo dois livros: Doces de Minas – A arte de fazer doces e Doces de Minas – Processamento artesanal de frutas. Mesmo após a aposentadoria somos muito próximas. Brinco que na Emater-MG eu encontrei duas pessoas que nunca falavam mal de ninguém: a Arlete e a Graça, duas santinhas” brinca.

Graça mora atualmente em Vitória, no Espírito Santo. Ela conta que retornou ao seu Estado Natal para estar mais próxima da família. Mas não se esquece dos amigos de Belo Horizonte e de tempos em tempos está de volta para rever a turma.

E quem aproveita esses momentos para estar ao lado dela é o amigo Fábio Freire. “A Graça é uma grande amiga. Apesar de termos trabalhado em áreas diferentes na Emater, temos um laço de amizade muito forte e sempre que possível nos encontramos para colocar a conversa em dia”, afirma.

Após o dever cumprido, Graça agora aproveita a vida ao lado dos familiares, amigos e fazendo o que gosta: caminhadas à beira-mar e viagens internacionais. Esse ano o destino já foi definido: Rússia.