Regina Campos: empatia e ação

Aposentar e parar de trabalhar não foi o que aconteceu com Regina Campos após se desligar da Emater-MG. Inquieta, após esse acontecimento se desafiou a continuar trabalhando para o bem do próximo.

No princípio, após encerrar as atividades na empresa, decidiu realizar trabalhos voluntários por cinco anos como forma de agradecer ao Universo tudo que recebeu ao longo dos anos. Mas desse período até os dias de hoje já se passaram mais de dez anos.

Ocupou a presidência da Amaer por quatro anos (2008-2012), dividindo com a diretoria os desafios de conduzir a Associação. Também ocupou por 6 anos a presidência do CEDEFES- Centro de Documentação Eloy Ferreira da Silva. “Foi um desafio imenso manter uma ONG que trabalha com povos tradicionais como os indígenas, quilombolas que vivem no meio rural de Minas Gerais”, conta.

Dedicada, continua colaborando com as duas instituições nos cargos de Diretora Cultural da Amaer e Secretária da CEDEFES.

Participou, recentemente, de projetos de apoio aos quilombolas do Vale do Alto do Rio Doce e de encontros regionais para gerar movimentos que fortaleçam os povos tradicionais do Estado.

Regina é natural de Carangola e desde menina aprendeu a valorizar e amar o contato com a natureza. Dedicou 35 anos à extensão rural iniciando a carreira como Bem-Estar Social no escritório local de Volta Grande. Também passou pelos municípios de Além Paraíba, Muriaé, Montes Claros, onde foi Coordenadora Regional de Bem-Estar Social, e seguiu para Belo Horizonte, onde ocupou o cargo de Coordenadora Estadual de Organização e Metodologia.

Além dessas atividades, Regina, junto com o filho Gabriel, administra um apartamento credenciado pelo AIRBNB e já recebeu hóspedes de mais de 15 nacionalidades

Pratica Tai Chi Chuan a mais de 10 anos e de grupos de estudos para aprofundamento da espiritualidade, meditação e autoconhecimento.  Também adora ler, viajar e se aventurar com o filho, amigos ou apenas com a sua mochila nas costas.