Rodrigo Pires do Rio Neto: Amigo de todas as horas

Rodrigo Pires do Rio Neto-SaudadesUm companheiro  leal,  determinado e franco. Essas  são apenas algumas,  das muitas,  características  do  agrônomo Rodrigo Pires do Rio Neto. Natural da cidade de São Vicente (SP), Rodrigo se casou, em Lavras, com Maria Lucia e teve três filhos. O extensionista iniciou os trabalhos em 1957, caminhando junto com a extensão rural em Minas, e se aposentou em 1989 quando ajudou a fundar a Amaer, sendo presidente da associação nos períodos de 1993/95 e 1998/99.

Segundo o amigo e presidente da Amaer, Sebastião Cardoso, a amizade com Rodrigo ultrapassava as questões profissionais. “Quando cheguei a Belo Horizonte, para trabalhar como secretário executivo da Acar, o Rodrigo foi o meu secretário-adjunto. E, além do trabalho, ele apresentou opções de lazer para minha família. Era uma amigo completo,” conta.

Precursor do uso de recursos da comunicação na extensão rural, Rodrigo conquistou admiradores, como é o caso do parceiro José Carlos Lima Dias. “Trabalhar com o Rodrigo foi uma oportunidade constante de crescimento profissional. Ele foi o criador de informativos técnicos para orientação aos extensionistas de campo e para distribuição aos produtores rurais com informações complementares e, de programas de rádio, tendo participado da criação da Hora do Fazendeiro, na rádio Inconfidência”, lembra.

Paulo Severino de Rezende também fala da importância e da confiança no amigo. “O Rodrigo era um profissional tremendamente dedicado e participante. A primeira pessoa que procurei para me ajudar enquanto presidente da Emater-MG foi o Rodrigo. Ele foi o responsável pela área de informação. Trocamos muitas ideias. Ele sempre esteve do meu lado, foi o meu apoio. Deixou muita saudade”, afirma.